: Escrevo não porque sei, mas por gosto e impulso... E assim escrevo errado mesmo...

(E o conteúdo deste blog que não consta fonte, é de minha autoria...)

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Os incomodados que não se incomodam

Esses dias em minhas observações e análises sobre comportamentos dos outros (e meus também) deparei-me com o “incomodar-se com os outros”.
Mas não apenas com o fato de “tentar agradar os outros ou coisa parecida”, mas também com a ideia do “não me incomodo com você” ou “vai se danar” ou ainda essas duas últimas ideias juntas. 
O que é dar atenção sim, e quem sabe até muita, mais do que a si mesmo.

Um quase bordão diz: "Sou a alegria de quem me ama, a tristeza de quem me odeia, a ocupação de quem me inveja.”...

Questiono: 
- Como eu quero ser tristeza para alguém mesmo que essa pessoa tenha por mim um sentimento ruim? 
- Para que também quero ocupar alguém que quer que eu deixe de ser feliz?
- E porque ser algo ruim ou bom, para quem eu digo não representar nada pra mim?

Ainda tem outra máscara que é expor, provar, ao outro sua felicidade como quem deve isso...
Se de fato o outro não me influi devo esquecê-lo, livrar-me do pensamento nele, dele ou direcionado a ele...

Isso é ressentir (sentir novamente) desejando que o outro experimente algo negativo; vingança mesmo.
Falta de perdão... De gratidão e de benção...
Se não perdoa, não sentirá gratidão. E se não for grato não abençoará.

“- Ah, o outro não merece perdão, nem gratidão, muito menos benção!”

E por acaso os outros fizeram o que lhe fizeram sem sua permissão? Certamente não, pois nenhuma relação é vivida por uma única pessoa. E se é unilateral, é por escolha e assim responsabilidade mesmo ingênua de quem assim vive.

Portanto, VOCÊ, tanto precisa quanto merece seu perdão, sua gratidão e sua benção...
É como lavar-se... Nem que seja para se sujar de novo!
Se assim acontece, o mundo, ou quem sabe “o outro”, ou ainda “um terceiro” agirá refletidamente sobre você. “Porque quanto mais gratos, mais razões recebemos para agradecer.” - Angélica Araujo - Textos & Frases

Aprender a não “se incomodar” com os outros, seja positiva ou negativamente, é conquistar a liberdade que acompanha a felicidade autônoma.
Seja feliz por você, e só... 
Com certeza sua felicidade importará a quem é feliz também por você...

Saliento que “incomodar-se” difere de “importar-se”. Incômodo é relacionado ao que é ruim, e importância ao que é bom.

@

Artigo escrito em 21.02.2016, publicado originalmente em Você Pode Ser Feliz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hum! Vai comentar! Agradecida!